quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Confissão de um lobo solitário.



Saio de casa e coloco a melhor roupa que eu tenho. Confesso que não sou preocupado com nada ligado a moda mais tento não errar. Na verdade depois de tanto tempo me preocupo em impressionar alguém de novo.

Quando entro no carro ligo o som e 
coloco o bom e velho blues pra tocar...sempre o bom e velho blues!

Quando paro no primeiro semáforo olho no retrovisor e vejo o meu rosto. Quanto tempo não prestava atenção no meu rosto. Na verdade o que me motiva ter olhado o meu rosto no retrovisor era verificar se ali existia alguma sujeira ou qualquer outra falha causada por um barbear mal feito o que percebi logo que não existia, só existiam ali defeitos de genética que nem o melhor cirurgião plástico pode resolver, e quando penso nisso começo a rir sozinho e quando me dou conta vejo algo maravilhoso que não via a algum tempo. Eu exibia no espelho para eu mesmo a alegria boba que não lembrava que existia. O nervosismo tolo que eu chamaria de besteira e a preocupação excessiva no que eu deveria dizer ou fazer quando eu estivesse ao lado dela.

Bom eu desperto quando o semáforo abre e alguém buzina pra mim.

Sigo com o coração batendo forte e com as mãos suando frio e tudo isso piora bastante conforme me aproximo do seu endereço. Paro o carro e estacionou, aviso que cheguei. Olho de novo no espelho, essa é a última oportunidade!

Ouço uma porta abrir e olho para a casa.

Inesperadamente o nervosismo passa, tudo passa, tudo para! é você saindo!

É como se aquele momento demorasse uns 3 meses pra passar...a exata visão de alguém apaixonado por outro alguém. A mesma visão sentida a séculos pelo homem apaixonado por uma mulher.
Você finalmente entrou no carro e o nervosismo sumiu quando me abraçou e por causa de alguma piada tola rimos juntos como se nos conhecêssemos a muito anos.

Senhoras e senhores! Respeitável público pagão! O desejo deste circo desengano é que com o tempo todo nosso fiel e admirável público possa encontrar a sua bailarina e que todos tenham a sorte de vê-la sorrir quando verem você do outro lado do portão e com um abraço dizer em silêncio: - que bom que você está aqui comigo!

Bom dia Mr. Kotzen!
Viva a filosofia de boteco e ao desengano!
Viva as reviravoltas que a vida dá e ao intenso giro do mundo!
Viva ao bom e velho blues!

Segue o rock!

4 comentários: